Com a chegada do verão é preciso redobrar os cuidados em relação à Febre Amarela e à Dengue
8 de novembro de 2019 | 16h22

Com a chegada do verão é preciso redobrar os cuidados em relação à Febre Amarela e à Dengue

Além do calor, o período de férias aumenta o trânsito de pessoas em áreas com a circulação dos vírus

A Prefeitura da Estância de Atibaia, por meio da Secretaria de Saúde, alerta à população para a chegada do período de maior incidência de casos de Dengue e Febre Amarela. É com o verão e altas temperaturas que aumenta a transmissão destas arboviroses, ou seja, doenças transmitidas por insetos.

Febre Amarela
A Febre Amarela é uma doença infecciosa aguda e que pode levar a morte. É dividida em Febre Amarela Silvestre e Febre Amarela Urbana. Em áreas silvestres, a doença ocorre em macacos. Os principais transmissores são os mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes, que picam preferencialmente esses animais.

Não há transmissão direta de pessoa a pessoa. Isso só ocorre se uma pessoa infectada for picada por um mosquito e o mesmo picar alguém não infectado previamente e ainda não vacinado. Se esse indivíduo retornar à cidade, pode servir como fonte de infecção para o Aedes Aeqypti (mosquito que também transmite a dengue), iniciando assim a transmissão da febre amarela urbana.

Após um longo período sem incidência de casos, em 2016 a Febre Amarela reemergiu e avançou no Estado de São Paulo, na sua forma silvestre, cuja única forma de prevenção é pela vacinação. Atualmente, todo o território paulista é considerado área de risco com recomendação de vacina. Em Atibaia, de 2000 a 2015 ocorreram 5 suspeitas em residentes, mas nenhum foi confirmado. Em 2017, foram confirmados 2, em 2018, 27 casos e em 2019, de 3 casos suspeitos, nenhum foi confirmado, mas 1 ainda encontra-se em investigação.

O período de dezembro a maio é considerado de maior risco, já que o calor contribui para a proliferação dos mosquitos e as férias e festividades aumenta o trânsito de pessoas não imunizadas em possíveis locais de contágio.

A vigilância à Febre Amarela em humanos e primatas é contínua pela Secretaria de Saúde de Atibaia e no dia 31 de outubro, foi confirmado o resultado laboratorial positivo de um Sagui encontrado morto, cuja primeira hipótese era por atropelamento, na estrada do Bairro Boa Vista, na altura do Jardim Brogotá. Esse resultado evidencia que o vírus da Febre Amarela continua circulando na matas da região, com o perigo de haver casos em humanos, assim como em macacos.

A vigilância também investiga um caso suspeito de óbito ocorrido em julho, de uma paciente do sexo feminino, que dentre as hipóteses diagnósticas está a febre amarela. Diante do resultado positivo no primata, estão sendo reforçadas as ações de alerta para vacinação em pessoas ainda não imunizadas, especialmente na região do Bairro Boa Vista e Brogotá.

Vacina
Em 2017, o Brasil adotou o esquema vacinal de apenas uma dose durante toda a vida, em acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Toda pessoa que viaja para área com recomendação da vacina deve se imunizar pelo menos 10 dias antes do deslocamento. Todas as pessoas ainda não vacinadas e que não apresentem contra-indicação devem procurar uma sala de vacina, já a vacinação nas crianças está indicada aos 9 meses.

A maioria dos casos confirmados desde 2017 ocorreram em pessoas não vacinadas, que se expuseram a áreas e ou atividades de risco, como ambientes de mata ou silvestres.

Em Atibaia, a vacina está disponível nas unidades de saúde que possuem sala de vacinação. São elas: UBS’s Centro, Maracanã, Alvinópolis, Flamenguinho, Portão, Rio Abaixo e Tanque. Nas USF’s Imperial, Cachoeira, Itapetinga, São José e Cerejeiras, além da US Santa Clara.

Dengue
A Secretaria de Saúde e equipe de vigilância continua monitorando as residências e terrenos para orientar ou identificar focos de larvas do mosquito da Dengue. Em 2019 foram registrados 390 casos positivos até o momento, 195 descartados e 2 seguem em investigação.

Modo Texto