23 de novembro de 2017 | 18h29

Jardim Brasil recebe mais uma obra para minimizar alagamentos

Construção de muro de contenção contra o transbordo do Córrego do Piqueri foi iniciada na última segunda-feira (20).

Construção de muro de contenção contra o transbordo do
Córrego do Piqueri foi iniciada na última segunda-feira (20)

Buscar diferentes soluções técnicas para minimizar os efeitos das fortes chuvas nos bairros que tenham histórico de alagamentos, essa vem sendo uma das medidas adotadas pela Prefeitura da Estância de Atibaia. A mais recente delas é a construção de um muro de contenção no Jardim Brasil. Uma medida que visa proteger o bairro de alagamentos, tendo em vista que a diferença de altura entre as ruas Joviano Alvim e a 27 de Junho, além das demais vias internas do bairro, faz com que as águas que descem das ruas mais elevadas do Centro e do transbordo do Córrego do Piqueri, sejam represadas no bairro.

A obra, iniciada nesta segunda-feira (20), terá um prazo de 60 dias para a sua conclusão. O muro terá 200 metros lineares, construído em concreto com acabamento em pedra, com uma altura de 0,80m em relação à Rua Dr. Joviano Alvim. O investimento será de R$ 199.000,00, realizado com recurso próprio da Prefeitura.
Esta solução já tinha sido apresentada aos moradores do bairro em 2013 (Convênio nº 013/630/13 – que previa a realização de drenagem de águas pluviais e a construção de muro de contenção), mas à época, por meio de abaixo-assinado contendo 660 assinaturas dos moradores solicitando o cancelamento da construção do muro de contenção, a obra não foi executada, sendo feita a parte do projeto referente à drenagem.

A retomada dessa solução, no entanto, de construção do muro de contenção contra o transbordo do córrego do Piqueri, foi solicitada pelos moradores do bairro durante uma reunião com o prefeito de Atibaia, Saulo Pedroso de Souza e integrantes da Associação de Moradores do Jardim Brasil (Amojab), realizada no último dia 30 de outubro. No encontro, houve uma conversa sobre as intervenções já realizadas no bairro desde a enchente de 2011, como a readequação das tubulações de capacitação de águas pluviais na rua Brasília até nova galeria e a realização de aduela.
Os moradores também apresentaram a proposta de recortar a aduela, que já está instalada, em 45 graus, para melhor fluidez e escoamento das águas. Também foi solicitada a limpeza da aduela, um importante mecanismo usado para escoar com mais rapidez as águas que ficam represadas no bairro.

Modo Texto