Julho Amarelo: Atibaia realiza campanha para combater hepatites virais
8 de julho de 2022 | 17h56

Julho Amarelo: Atibaia realiza campanha para combater hepatites virais

Secretaria de Saúde promove testes rápidos, vacinação e orientações durante a 1ª Feira de Diversidades, no Centro de Convenções

A Prefeitura de Atibaia inicia neste mês a campanha Julho Amarelo, com diversas ações para conscientizar a população sobre as hepatites virais e formas de se prevenir contra a doença. As ações organizadas pela Secretaria de Saúde têm início na próxima segunda-feira (11) com mutirão da Vigilância em Saúde nos salões de beleza, barbearias e estúdios de tatuagens, realizando orientações e distribuindo convites para a ação de destaque da campanha, que acontecerá no dia 16 de julho, na 1ª Feira da Diversidade de Atibaia.

Integrando a programação da 1ª Semana da Diversidade de Atibaia, a feira acontece no dia 16 de julho, na Arena do Centro de Convenções, a partir das 17h. Durante o show da cantora Liniker, que encerra a semana de debates, encontros e atividades de apoio à comunidade LGBTQIAPN+, haverá distribuição de preservativos e uma tenda da Secretaria de Saúde disponibilizará gratuitamente testes rápidos de HIV e sífilis.

Além dessa ação junto à comunidade LGBTQIAPN+ no dia 16 e dos mutirões nos salões de beleza, barbearias e estúdios de tatuagens, que acontecerão de 11 a 22 de julho, a Prefeitura pretende promover um dia com vacinação, testes rápidos, orientações de prevenção e cuidados com materiais. No dia 25 de julho, a Prefeitura realizará testes rápidos para a Hepatite B e C, foco central da campanha do Julho Amarelo, além das demais testagens para HIV e Sífilis. O local será confirmado em breve pela Secretaria de Saúde.

Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais
Hepatite é o nome dado a toda inflamação que atinge o fígado, um importante órgão do sistema digestivo com um papel essencial na desintoxicação do organismo. Causada, na maioria das vezes, por uma infecção viral, também pode ser provocada pelo uso abusivo de substâncias tóxicas (álcool, medicamentos e drogas), doenças genéticas ou autoimunes.

No Brasil são comuns os vírus A, B e C e estima-se que milhões de pessoas no país sejam portadoras do vírus, embora não tenham conhecimento. Além do risco da evolução da doença, que pode se tornar crônica, ela pode ocasionar outros danos ao fígado, como cirrose e câncer. A hepatite B é transmissível sexualmente, mas, assim como a hepatite C, o contágio pode ocorrer pelo compartilhamento de objetos pessoais contaminados com sangue, como lâminas para depilação, agulhas, escovas de dentes, seringas, alicates de unha, bem como o uso de materiais que não foram esterilizados para aplicação de piercings e tatuagens.

As hepatites virais costumam ser infecções silenciosas e, muitas vezes, os sintomas passam despercebidos até que surge uma complicação mais grave da doença. Por isso, saber como se proteger, como identificar os sintomas e quando buscar tratamento é fundamental. Julho é o mês de referência no combate à doença em razão do dia 28 de julho, data instituída pela OMS como Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais.

print