Leitos de UTI disponíveis na Região caem de 40 para 10
4 de dezembro de 2020 | 18h48

Leitos de UTI disponíveis na Região caem de 40 para 10

Redução na oferta de leitos de UTI na região impacta na taxa de ocupação e Prefeitura de Atibaia cobra providências

De acordo com boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde divulgado hoje (4), a taxa de ocupação dos leitos de UTI em Atibaia é de 63%. Com relação aos leitos regionais, apesar da taxa de ocupação ter atingido 100%, não houve aumento significativo no número de pacientes internados. Esse aumento da taxa se deve à redução na oferta de leitos contratados pelo governo do estado para atender a região bragantina, da qual fazem parte os municípios de Atibaia, Bragança Paulista, Pinhalzinho, Tuiuti, Socorro, Nazaré, Piracaia, Perdões, Joanópolis, Pedra Bela e Vargem. Em 30 de setembro de 2020, a região contava com 40 leitos de UTI exclusivos para COVID-19 contra apenas 10 disponíveis atualmente.

Em reunião virtual com o governo do estado realizada no dia 1º, o prefeito da Estância de Atibaia cobrou a ampliação do número de leitos para a região, solicitando a renovação da contratação para atender à demanda. Ontem (3), em pronunciamento em suas redes sociais, ele se manifestou a respeito do reenquadramento de todo o estado na fase amarela do Plano São Paulo e afirmou que, por enquanto, Atibaia não vai sofrer nenhuma alteração em relação ao funcionamento da atividade econômica, permanecendo o decreto atual vigente na cidade, dado que não houve aumento significativo no número de pacientes internados.

O prefeito de Atibaia também afirmou que continua tratando com a equipe do governo estadual a necessidade de recontratar os 40 leitos de UTI disponibilizados anteriormente em toda região e convocou empresários, comerciantes e população a ajudar na tarefa de enfrentamento da pandemia, mantendo as práticas de distanciamento social, higiene e utilização de máscaras. Também anunciou reforço nas ações de fiscalização já neste final de semana e disse ainda que a Prefeitura continuará monitorando os índices da pandemia da cidade, não descartando a possibilidade de adotar medidas mais rígidas e restritivas caso seja necessário.

print