Prefeitura de Atibaia propõe criação do Monumento Natural Municipal do Morro do Saci
7 de abril de 2022 | 10h07

Prefeitura de Atibaia propõe criação do Monumento Natural Municipal do Morro do Saci

Conversão do Morro do Saci em Unidade de Conservação, que está em tramitação na Câmara, visa proteção da flora, fauna e demais recursos naturais do local

A Prefeitura da Estância de Atibaia encaminhou à Câmara Municipal projeto de lei para criação do Monumento Natural Municipal do Morro do Saci (MONA Morro do Saci), considerado uma Unidade de Conservação (UC), com o objetivo de proteção integral e permanente da flora, fauna e demais recursos naturais, assim como a preservação da beleza cênica da sua paisagem natural.

A conversão do Morro do Saci em Unidade de Conservação, na categoria de Monumento Natural Municipal, visa também estimular o desenvolvimento de pesquisas científicas, o ecoturismo ordenado de baixo impacto e a valorização histórico-cultural.

Segundo a Administração Municipal, a importância de se criar o MONA Morro do Saci em termos de conservação ambiental se dá nos cenários internacional, federal, estadual e municipal, em virtude de o mesmo estar inserido no bioma da Mata Atlântica. A proposta do MONA Morro do Saci ocupa uma área de cerca de 234 hectares e abriga espécies ameaças de extinção, tais como o sagui escuro da serra e o gato mourisco, além de outras espécies relevantes.

A Prefeitura de Atibaia ressalta ainda a proximidade do Morro do Saci com o Parque Natural Municipal da Grota Funda, contribuindo para a formação de um futuro corredor ecológico na porção sudeste do município.

Além disso, a conversão desta área em Unidade de Conservação possibilitará a captação de recursos para sua gestão e manejo, vindos dos programas governamentais e esquemas de pagamento por serviços ambientais, o que permite ampliar as ações de visitação para fins culturais, educativos e recreativos.

De acordo com o inciso I do artigo 2º do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC), uma UC é definida como “espaço territorial e seus recursos ambientais, incluindo as águas jurisdicionais, com características naturais relevantes, legalmente instituído pelo Poder Público, com objetivos de conservação e limites definidos, sob regime especial de administração, ao qual se aplicam garantias adequadas de proteção”.

print