Ocupa Atibaia espalha intervenções de arte urbana pelos espaços públicos da cidade
6 de maio de 2022 | 15h02

Ocupa Atibaia espalha intervenções de arte urbana pelos espaços públicos da cidade

Projeto de residência artística que procura incentivar a arte de rua continua promovendo ações culturais em diversos formatos no mês de maio

Terezinha, Silmara, Maria Zenilde, Alana, Baiana, Claudete, Iane e Silvana são mulheres de Atibaia que viraram arte. Retratadas no painel “Como Deusas”, elas têm chamado a atenção de quem passa pela Rua Lourenço Franco, próximo da esquina com a Praça da Santa Casa. A obra das artistas Tikka e Afolego é a mais recente intervenção do Ocupa Atibaia, edital de fomento à arte de rua realizado pela Associação Incubadora de Artistas e Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, com apoio da Secretaria de Cultura de Atibaia.

Contemplado com recursos do Programa de Ação Cultural – ProAC (Edital ProAC Expresso Direto nº 38/2021), o projeto já realizou cinco das dez ações culturais selecionadas pelo edital lançado pela Incubadora de Artistas. No começo de abril, os grafiteiros TRUFF TK e Nick Zombie começaram ocupando a Avenida Jerônimo de Camargo com o painel “Ephemeral Graffiti” e, na sequência, os artistas Odé Frasão e Tuka deixaram a sua marca na lateral do Cine Itá Cultural: o mural “Morango Especial”, uma releitura moderna do desenho animado Moranguinho.

Em frente à Unidade de Saúde Ana Nery, no Jardim Imperial, o projeto “Terrapia”, de Gilberto Junior e Elton Hipolito, inseriu na paisagem da cidade um mural pintado com tintas artesanais à base de terra, produzidas a partir de material coletado na região de Atibaia. No Domingo de Páscoa, foi a vez da performance de rua “Tuingo e Bastião – Uma Dupla de Baião”, uma homenagem a Luiz Gonzaga, Dominguinhos e outros artistas populares.

O projeto “Como Deusas”, realizado com apoio da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, via Departamento da Mulher, fechou o mês de abril homenageando as mulheres, representadas em toda sua colorida diversidade no painel que retrata personagens da cidade.

Residência artística
As intervenções que compõem a edição 2022 do Ocupa Atibaia envolvem 20 artistas de Atibaia, São Paulo, Bom Jesus dos Perdões, Bragança Paulista, Mauá, Mogi Mirim, São Bernardo do Campo, Piracicaba, Itapira e Botucatu. Procurando apoiar e incentivar a pesquisa e o desenvolvimento da arte de rua, o projeto desenvolve-se sob o conceito de residência artística: a ideia básica é inserir o artista dentro de um novo contexto cultural e convidá-lo a desenvolver um processo de criação e experimentação influenciado não só pela troca com os outros artistas, mas também com a comunidade local.

Na residência temporária da Incubadora, o objetivo é oferecer aos participantes uma plataforma de atuação e reflexão sobre a prática artística que, além de estimular a produção crítica, geradora de conhecimento, possibilite aos artistas explorar novos caminhos de formação no universo da arte que acontece nas ruas e espaços públicos, congregando uma infinidade de técnicas e modalidades como pintura, grafite, stencil, colagem, lambe-lambe, projeções, fotografia, sticker art, escultura, nature art, reciclagem, performances, instalações, entre outras.

Programação de maio
Ao longo deste mês estão previstas mais cinco intervenções dentro da programação do Ocupa Atibaia. Rafael Baldam e Bruno Geraldia retomam no dia 9 de maio a temporada 2022 com a instalação “As Casas de Dentro”, que vai espalhar ilustrações em tamanho real, ligadas a arquitetura, por diversas ruas da cidade. No dia 14, Danilo Cunha e João Oliveira apresentam a performance “Propaganda”, que reunirá diversas técnicas de arte urbana como stencil, lambe-lambe, grafite e discotecagem.

No Boulevard Takao Ono, Diogenes Moura e Iskor vão realizar no dia 16 uma experimentação pictórica que mesclará instalação, reciclagem e muralismo no projeto “Derivações”. Já nos dias 21 e 22, na Rua Dr. Olímpio da Paixão, no Centro, Alexandre Beraldo e Bia Raposo pretendem levantar a questão ambiental relacionada a desmatamentos e queimadas no mural “Desespero Tropical”. E para encerrar a programação deste ano, as artistas Taiana Ferraz e Ana Mi apresentarão a performance de dança “Deslocamentos”.

Os detalhes das intervenções urbanas que ainda vão acontecer estão sendo definidos com os artistas e, quem quiser saber mais, pode acompanhar as atividades do projeto nas redes sociais da Associação Incubadora de Artistas.

print