18 de janeiro de 2017 | 07h01

PEA e produtores rurais se reúnem para formalização de cooperativa agrícola

Objetivo é organizar os produtores para que possam se fortalecer diante do mercado e poder ter facilidades na compra de insumos e desenvolvimento técnico.

Na manhã da quinta-feira (12), produtores rurais, representantes do Sebrae-SP, do Instituto de Cooperativismo e Associativismo da Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento, da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), do Sindicato Rural de Atibaia, de um escritório de contabilidade e colaboradores da Secretaria de Agropecuária e Abastecimento da Prefeitura de Atibaia se reuniram para debater a criação de uma cooperativa agrícola do município e região.
A reunião teve como objetivo formalizar os trâmites e discutir sobre o trabalho feito por uma cooperativa, as escolhas da mesa diretora, o estatuto e outros procedimentos pertinentes ao processo.
Segundo o engenheiro agrônomo da Prefeitura, Marcos Albertini, a iniciativa partiu dos produtores rurais, que procuraram a Secretaria para esclarecer e solicitar apoio no processo.
“A Prefeitura de Atibaia e o Sebrae-SP estão participando desde a primeira reunião, visando alavancar a criação da cooperativa. Desde então, foram sendo agregados outros órgãos para fortalecer o apoio a esses produtores”, afirmou.
O secretário de Agropecuária e Abastecimento de Atibaia, que também é produtor de morangos na cidade, Mario Inui, destacou a importância dessa iniciativa por parte dos agricultores e terceiro setor.
“Pela primeira vez estamos vendo uma iniciativa dessa acontecer entre os produtores e o terceiro setor e isso é muito gratificante. Certamente ofereceremos o respaldo e apoio necessários para que a cooperativa seja criada, beneficiando a todos de maneira geral, tanto na produção quanto na distribuição do produto final, que passará a ter ainda mais qualidade”, afirmou.
Mario Inui ressaltou também que o objetivo é organizar os produtores para que juntos possam se fortalecer diante do mercado e poder ter facilidades na compra de insumos agrícolas e desenvolvimento técnico. “Além disso, dará possibilidade à cooperativa de ampliar a comercialização de frutos, verduras, legumes, grãos, entre outros”, concluiu o secretário.

Modo Texto