7 de abril de 2017 | 15h44

Prefeito busca, em Brasília, melhorias para áreas de transporte e infraestrutura

Entre os pleitos estão obras de combate a enchentes, construção de viaduto para ligar as regiões dos bairros Jd. Imperial/Cerejeiras/Caetetuba à região do Jd. Paulista/Alvinópolis, e melhorias no acesso à Pedra Grande.

Entre os pleitos estão obras de combate a enchentes, construção de viaduto para ligar
as regiões dos bairros Jd. Imperial/Cerejeiras/Caetetuba
à região do Jd. Paulista/Alvinópolis, e melhorias no acesso à Pedra Grande

 
O prefeito da Estância de Atibaia, Saulo Pedroso de Souza, esteve nesta semana em Brasília para pleitear melhorias para Atibaia nas áreas de transporte e infraestrutura.

O chefe do Executivo fez parte de uma comitiva formada pelos vereadores Fabiano de Lima (atual presidente da Câmara) e Michel Carneiro, pelos secretários André Agatte (Governo) e Lincoln Xavier (Comunicação) e pelo assessor de Gestão e Controle, Adauto Batista de Oliveira. A visita à capital federal aconteceu em dois dias, quarta e quinta-feira (dias 5 e 6).
O chefe do Executivo foi recepcionado na quarta-feira, 5, pelo ministro de Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, com quem conversou sobre o projeto de construção de um viaduto de transposição, cruzando a rodovia Fernão Dias, de ligação das regiões dos bairros Jardim Imperial/Cerejeiras/Caetetuba à região do Jardim Paulista/Alvinópolis.
Esse pleito do prefeito começou em 2013, primeiro ano de seu mandato, e tem objetivo de oferecer mais segurança à população, bem como melhorias física e operacional da própria rodovia, em uma região de alta densidade populacional.
A construção do viaduto de transposição facilitaria o acesso aos bairros, integrando vias estratégicas para a área de mobilidade urbana, e o apoio de órgãos federais seria essencial para execução do projeto.
Sobre esse pleito, a diretoria da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), em acordo com o Ministério de Transportes, Portos e Aviação Civil, determinou imediatamente a realização de estudos preliminares para o projeto. A agenda com Maurício Quintella foi articulada pelo deputado federal Paulo Roberto Freire da Costa.
Na quinta-feira, 6, o prefeito esteve no Ministério do Turismo, onde foi recepcionado pelo Chefe de Gabinete, Maurício Almeida, para tratar de demandas relacionadas à Pedra Grande, o principal ponto turístico de Atibaia.
 

 
O prefeito solicitou recursos para a realização de obras de melhoria dos acessos à Pedra Grande, que frequentemente demandam serviços de manutenção por parte da Prefeitura.
Na sequência, o prefeito visitou o Ministério da Integração Nacional para tratar de projetos de combate às enchentes no município.
Foram solicitados recursos para o desassoreamento do Rio Atibaia e também dos lagos do Jd. Paulista, Jd. do Lago e Major.
Os lagos têm capacidade natural de represamento d’água, sendo grandes “piscinões” responsáveis por segurar parte do montante que seria descarregado diretamente em córregos e, consequentemente, no Rio Atibaia.
O objetivo é ampliar a capacidade de absorção de águas pluviais.
 

A agenda do prefeito em Brasília, ainda na quinta-feira, reservou uma visita ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.
O assunto tratado foi o Programa de Desenvolvimento Urbano do Município de Atibaia, denominado “Moderniza Atibaia”, que visa melhorar a infraestrutura urbana de uma maneira ampla, com investimentos no setor de saneamento, mobilidade e urbanismo, prevenção de alagamentos em bairros estratégicos e obras de pavimentação e revitalização.
Em janeiro, o prefeito já esteve em Brasília em busca de recursos junto à União para viabilizar o Programa.
Atibaia foi a primeira cidade do país a apresentar um projeto conforme as novas prerrogativas da COFIEX (órgão colegiado integrante do Ministério responsável pela avaliação de projetos cuja matriz de financiamento conta com recursos externos, oriundos de organismos financeiros internacionais de desenvolvimento multilaterais ou bilaterais).
No próximo dia 28 está marcada uma nova reunião da COFIEX para deliberação do projeto de Atibaia. Em caso positivo, o programa será submetido à aprovação do Senado Federal.
Somente após a apreciação favorável dos senadores o programa poderá ser iniciado.

print