Prorrogada: vacinação contra febre aftosa e brucelose ocorre até 31/12
1 de dezembro de 2021 | 17h44

Prorrogada: vacinação contra febre aftosa e brucelose ocorre até 31/12

Produtor rural tem até 7 de janeiro para comprovar proteção dos rebanhos; Prefeitura de Atibaia reforça importância da vacina

A campanha de vacinação contra febre aftosa e brucelose, que aconteceria até 30 de novembro, foi prorrogada para 31 de dezembro de 2021. A decisão foi tomada para colaborar com os produtores rurais que encontraram dificuldades para adquirir as doses de vacina. A Prefeitura da Estância de Atibaia, por meio da Secretaria de Agricultura, reforça a importância de manter os rebanhos protegidos dessas enfermidades. Devem ser vacinados bovinos e bubalinos com zero a 24 meses de idade contra febre aftosa e todas as fêmeas bovinas e bubalinas com idade de 3 a 8 meses contra brucelose, de acordo com a campanha do Estado de São Paulo.

Com a prorrogação, os produtores têm até o dia 7 de janeiro para comprovar a vacinação, segundo a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado. As declarações das vacinações devem ser realizadas preferentemente por meio eletrônico, por meio do sistema Gedave (www.gedave.sp.gov.br). É com o registro da declaração que o produtor poderá cumprir com os compromissos sanitários junto ao órgão de defesa sanitária animal de seu estado.

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, as vacinas devem ser adquiridas nas revendas autorizadas e mantidas entre 2°C e 8°C, desde a aquisição até o momento da utilização – incluindo o transporte e a aplicação. Devem ser usadas agulhas novas para aplicação da dose de 2 ml na tábua do pescoço de cada animal, preferindo as horas mais frescas do dia, para fazer a contenção adequada dos animais e a aplicação da vacina.

O produtor que não cumprir a determinação pagará multas de 5 Ufesps (R$ 145,45) por cabeça, caso não realize a aplicação do imunizante, e 3 Ufesps (R$ 87,27) por cabeça, se não comunicar a vacinação. O valor de cada Ufesp (Unidade Fiscal do Estado de São Paulo) é R$ 29,09.

A febre aftosa é uma enfermidade causada por vírus, sendo uma das doenças infecciosas mais contagiosas dos animais, afetando animais biungulados (de casco fendido) como: bovinos, bubalinos, caprinos, ovinos e suínos. Esta doença pode acometer rapidamente criações inteiras. O vírus se dissipa pelo contato entre animais doentes e susceptíveis, e pode contaminar solo, água, vestimentas, veículos, aparelhos e instalações.

O Estado de São Paulo é reconhecido como Área Livre de Febre Aftosa com vacinação pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e pela Organização Mundial de Epizootias (OIE) e é signatário do Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para Febre Aftosa, que tem como meta principal a declaração de área livre da doença sem vacinação até 2026. Os índices de imunização dos rebanhos paulistas têm sido superiores a 98% nos últimos anos. O último foco de febre aftosa no Estado ocorreu há 25 anos.

print