Prefeitura reforça pleito junto ao Estado para instalação de unidade do Bom Prato em Atibaia
8 de abril de 2022 | 10h16

Prefeitura reforça pleito junto ao Estado para instalação de unidade do Bom Prato em Atibaia

Programa do Governo Estadual oferece almoço e jantar por R$ 1,00 cada e café da manhã por R$ 0,50, em um formato mais acessível ao usuário

Em reunião na Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo na última semana, a Prefeitura voltou a reforçar o pleito para a instalação de uma unidade do Programa Bom Prato em Atibaia. A Administração Municipal vem requerendo, junto ao Governo Estadual, que a cidade seja incluída no Programa, cujo formato reúne condições mais apropriadas para atendimento da população em situação de vulnerabilidade social, inclusive ampliando a oferta de alimentação, já que o Bom Prato conta com três refeições oferecidas em suas unidades, todas com valores mais acessíveis ao usuário: almoço e jantar por R$ 1,00 cada e café da manhã por R$ 0,50.

Durante o encontro com a então secretária de Estado de Desenvolvimento Social, Célia Parnes, o secretário de Governo de Atibaia, André Agatte, representando a Prefeitura, lembrou que o Restaurante Popular de Atibaia, localizado no Jardim Cerejeiras, teve seu atendimento suspenso no início da pandemia de Covid-19 no Brasil, em março de 2020, como medida de prevenção à doença no município. Nesse período, o Governo Municipal analisou o modelo e avaliou que o equipamento não atendia à população que mais necessitaria desse serviço – as pessoas em situação de vulnerabilidade social em Atibaia, justamente o público prioritário da Assistência Social.

Conforme a secretária de Assistência e Desenvolvimento Social de Atibaia, Magali Basile, o município já conta com toda a estrutura adequada para a instalação do Bom Prato na cidade, dependendo apenas da autorização do Governo do Estado para a implantação de uma unidade do Programa no município. “Com refeições de até R$ 1,00, a proposta do Bom Prato é mais acessível à população em situação de vulnerabilidade social, enquanto o modelo do Restaurante Popular registrava um custo final da refeição, à época da suspensão das atividades, de R$ 3,60 por pessoa. Além disso, o Restaurante Popular tinha o almoço como única refeição oferecida, enquanto o Bom Prato conta com três refeições”, destacou a secretária.

Vale lembrar que em setembro de 2021 Atibaia também marcou presença em Brasília/DF, em uma série de agendas junto ao Ministério da Cidadania, incluindo tratativas para a área de Segurança Alimentar. Na oportunidade, a comitiva de Atibaia buscou investimentos e melhorias para a cidade e, entre a série de reuniões realizadas, compareceu à Secretaria Nacional de Inclusão Social e Produtiva, quando pleiteou investimentos e alternativas inovadoras para o Restaurante Popular de Atibaia.

print