Acolhimento da população em situação de rua continua durante a pandemia
12 de março de 2021 | 12h57

Acolhimento da população em situação de rua continua durante a pandemia

Em meio à pandemia de Covid-19, Prefeitura oferece atendimento e orientações às pessoas em situação de vulnerabilidade social que vivem nas ruas

Como assegurar condições de higiene para uma população em situação de vulnerabilidade social que tem dificuldade de garantir as condições mínimas de sobrevivência? Para as pessoas em situação de rua, ficar em casa não é uma opção e manter a higiene é um grande desafio. Buscando amenizar os efeitos da crise provocada pela pandemia e amparar as pessoas em situação de rua, a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, em parceria com o Fundo Social de Solidariedade, reforçou a rede de proteção a essa vulnerável parcela da sociedade, intensificando o trabalho de atendimento e acolhimento emergencial.

Uma das frentes de trabalho dessa rede protetiva é o Centro Pop, um centro de referência especializado, que conta com uma equipe técnica preparada para oferecer atendimento e acompanhamento psicossocial às pessoas em situação de rua. O atendimento é pautado pelo resgate da dignidade e garantia dos direitos básicos, não exige agendamento e oferece acesso a documentação, banho, alimentação e higienização, encaminhamento a tratamentos de saúde – especialmente às pessoas portadoras de transtornos psiquiátricos e usuários de álcool e drogas –, direcionamento a programas de qualificação profissional, emprego e renda ou outros programas governamentais e até mesmo viabiliza a passagem de transporte para a cidade de origem ou outra em que a pessoa tenha vínculos familiares e interpessoais.

O Centro Pop é um espaço público que serve como porta de entrada para a rede assistencial municipal, voltada para a reinserção social das pessoas em situação de rua. Aquelas que desejam sair das ruas são encaminhadas para a outra frente que compõe essa rede de apoio: a Casa de Acolhimento Institucional de Pessoas em Situação de Rua. Com capacidade para abrigar 50 pessoas, a Casa oferece, além de moradia e cuidados de higiene pessoal, acompanhamento técnico com assistentes sociais e psicólogos, guarda de pertences, abrigo para os animais de estimação – uma parceria com a Coordenadoria de Defesa Animal – e laborterapia, contando com uma horta comunitária, uma marcenaria e uma serralheria. Por meio desse trabalho, muitos conseguem se reinserir no mercado de trabalho e retomar suas vidas, abandonando as ruas como espaço de sobrevivência e moradia.

Algumas pessoas optam por permanecer nas ruas durante o dia, mas eventualmente buscam um lugar seguro para dormir à noite. Também essas encontram apoio e acolhida na Casa de Passagem, outra frente que faz parte dessa rede oferecendo banho, roupas limpas, jantar, local para pernoite e café da manhã. Além do Centro Pop, da Casa de Acolhimento Institucional de Pessoas em Situação de Rua e da Casa de Passagem, a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social realiza o serviço de abordagem social, contando com o apoio do Fundo Social através do Programa Vida Nova.

Programa Vida Nova
Todo esse trabalho começa com o serviço de abordagem social, que busca convencer as pessoas em situação de vulnerabilidade social a sair das ruas e aceitar a ajuda e o acolhimento oferecidos pela rede de serviços socioassistenciais da Prefeitura. Sempre por meio do diálogo e do tratamento humanizado, a abordagem social acontece todos os dias, tanto durante o dia quanto à noite, articulando as Secretarias de Saúde e de Serviços, além da Guarda Civil Municipal nessa iniciativa. Coordenados pelo Fundo Social de Solidariedade – que também arrecada doações de alimentos, móveis, roupas, brinquedos, produtos de limpeza, itens de higiene pessoal e outros –, os diversos órgãos públicos são articulados pelo Fundo Social no Programa Vida Nova, que busca oferecer a essas pessoas uma oportunidade para mudar de vida.

Em meio à pandemia de Covid-19, todos os serviços de apoio e acolhimento das pessoas em situação de rua intensificaram as rotinas de higiene e têm procurado ajudar e orientar as pessoas em situação de rua sobre as formas de evitar a disseminação da doença. Também é importante ressaltar que a melhor maneira de ajudar é promover a reinserção na sociedade, possibilitando uma vida com mais qualidade e dignidade. Doar alimentos e cobertores ou dar esmolas acaba por incentivá-las a permanecer nas ruas. Assim, caso se depare com pessoas em situação de rua, contate as equipes de abordagem social pelo telefone (11) 4415-2274 (atendimento 24 horas).

print