16 de fevereiro de 2018 | 16h06

Água tratada: assinada ordem para implantação de rede no Belvedere

Empresa vencedora tem 30 dias para apresentar o projeto executivo e iniciar a obra, que beneficia todos os moradores da região.

Empresa vencedora tem 30 dias para apresentar o projeto executivo e iniciar a obra, que beneficia todos os moradores da região

Nesta sexta-feira (16), o prefeito da Estância de Atibaia, Saulo Pedroso de Souza, assinou a ordem de serviço para implantação de rede de distribuição de água tratada no bairro Belvedere I e II. Após a finalização dos serviços, que também contemplam a realização de 512 ligações domiciliares, cerca de 2.500 moradores do bairro receberão água tratada.

A partir da segunda-feira (19) a Lewale Engenharia Projetos e Construções, empresa vencedora da licitação, feita por meio de empreitada global, iniciará a elaboração dos projetos executivos, que têm prazo de finalização de cerca de 30 dias e, após apresentação e aprovação pela Secretaria de Obras Públicas, o início da execução dos serviços. O investimento será de R$ 2.097.946,66, oriundos de contrato assinado com a Caixa Econômica Federal, cuja a fonte dos recursos é o Ministério das Cidades/Secretaria Nacional de Saneamento. A obra será fiscalizada pela Secretaria Municipal de Obras Públicas, em conjunto com a Companhia de Saneamento Ambiental de Atibaia – SAAE Atibaia.
A superintende da Saae, Fabiane Santiago, destacou que na sequência a Companhia vai ampliar esse atendimento para a Gleba C do bairro, Três Pistas, Serras de Atibaia 1, 2 e 3. “Estamos desempenhando o papel social necessário para levar qualidade de vida à população”, salientou, destacando que a construção do reservatório no bairro com capacidade de 1 milhão de litros foi possível graças a uma contrapartida exigida pela Prefeitura de um empreendedor.

ARQUIVO SECOM

Meio ambiente
Paralelo ao trabalho de engenharia, será desenvolvido um trabalho socioambiental na região. A ação é prevista pelo Governo Federal sempre que os recursos de convênios sejam da União e quando se trata de um empreendimento de saneamento que possa provocar mudanças nas condições de vida da população, assim como na relação e condições de acesso das pessoas aos serviços de saneamento, caso onde se enquadram as obras do Belvedere.
O trabalho, cujo investimento será de R$ 51.580,00, a ser realizado em um prazo de 15 meses pela Organização da Sociedade Civil (OSC) Mater Dei, vencedora da licitação realizada pela Prefeitura no ano passado, tem como escopo a formação de agentes socioambientais em saneamento e formação de lideranças comunitárias.
De acordo com Gianmarco Bisaglia, presidente da entidade e coordenador do projeto, quando entra uma obra desse porte em um bairro, muda-se a dinâmica social, econômica e ambiental do local. “Diante disso, é de suma importância identificar quais são os problemas de desenvolvimento atuais e, dentro dessa perspectiva, quais as demandas futuras de desenvolvimento. Por isso a importância de se fazer a formação dos agentes de desenvolvimento, formar lideranças comunitárias e organizar o bairro para que a população também tenha consciência da responsabilidade social e ambiental que a água vai proporcionar, que envolve o uso inteligente e o reúso da água”, salientou.
Compuseram a mesa solene a superintendente da Saae Fabiane Santiago, o prefeito Saulo Pedroso, o vice-prefeito Emil Ono, o secretário de Obras Públicas Ricardo Pissulin e o vereador Tiãozinho da Farmácia – representando a Câmara Municipal. Também presentes vereadores, secretários, coordenadores e Wagner Baratti, da empresa contratada.
print