8 de dezembro de 2017 | 16h18

Saae Atibaia prepara canteiro de obras da nova estação de tratamento de água do município

Unidade ampliará a capacidade de tratamento de água em Atibaia

Unidade ampliará a capacidade de tratamento de água em Atibaia

Quem passa pela região onde se encontra o complexo da sede da Saae, no Centro, pode observar uma série de tapumes. Trata-se do canteiro de obras da nova Estação de Tratamento de Água (ETA) do município. A Prefeitura da Estância de Atibaia e a Saae já estão preparando a área onde será construída a nova ETA Central, que irá quase dobrar a capacidade de tratamento de água na cidade e modernizar o sistema atual.
O espaço destinado à nova ETA Central fica na Praça Roberto Gomes Pedrosa – área pertencente à Saae (conforme Decreto nº 8.181/17, que discrimina os bens imóveis transferidos ao serviço autônomo de água e esgoto pelo Decreto n° 987/74) – portanto faz parte do terreno onde já se encontra o reservatório de distribuição de água e demais equipamentos.

No local, já foram iniciados a limpeza do terreno e os preparativos para desvio de tubulação. Ao longo desta semana também está foi realizada, na área interna da Saae, toda a sondagem necessária para as obras. Em seguida, será feita a programação para remanejamento de rede e, paralelamente, o início da escavação da área para a construção.
A nova ETA Central trabalhará com uma vazão de 700 litros por segundo, o que representa praticamente o dobro da capacidade de tratamento atual (de 400 l/s). A obra conta com um investimento de mais de R$ 30 milhões e foi licitada no final de 2013.
Em março de 2014, a Prefeitura e a Saae realizaram o lançamento da “pedra fundamental” da nova ETA, marcando o início simbólico das obras (com previsão de 24 meses de execução). No decorrer de 2014, já como parte do contrato firmado, houve a implantação da adutora de água bruta do Rio Atibaia, localizada na Avenida Terceiro Centenário, com extensão de 1,5 km de tubulações interligando a captação de água do rio com a área onde será instalada a nova ETA (sede da Saae).
No final de 2014, no entanto, o Estado de São Paulo enfrentou uma severa crise hídrica, que motivou a contratação de um estudo para análise da água do Rio Atibaia. O levantamento apontou que o longo período de estiagem gerou uma modificação na composição da água bruta do rio, condição que exigiu uma revisão de todo o projeto da nova ETA, interrompendo e atrasando as obras já iniciadas.
De acordo com a Saae, foram necessárias adequações no projeto para atender à nova realidade apresentada no Rio Atibaia, o que também exigiu nova análise do agente técnico/financeiro do projeto, a Caixa Econômica Federal, antes de que as obras pudessem ser reiniciadas.

Segundo a superintendente da Saae, Fabiane Santiago, a nova ETA Central ocupará a área atrás da Saae e, por isso, exigiu intervenções nesse espaço público. “Para a construção houve a necessidade de desativar o estacionamento e os equipamentos que existiam no local, como alguns canteiros, bancos e a fonte”, esclareceu. “Todas ações imprescindíveis para a implantação de um equipamento que certamente beneficiará milhares de pessoas na cidade”, complementou.
Para a superintendente, a obra representa um grande avanço no sistema de tratamento de água em Atibaia, contribuindo para o desenvolvimento do município. “A nova ETA Central será uma das mais modernas do país e irá praticamente duplicar o volume de água tratada na cidade. É uma conquista sem precedentes no saneamento de Atibaia e que influenciará positivamente na qualidade de vida da população”, ressaltou.

print